A rádio Notícias Gerais Esportes Segurança Promoção OUÇA A RÁDIO
AO VIVO
OUÇA A RÁDIO
AO VIVO
Mande seu recado
telefone 54 3461.9700 whatsapp Whatsapp
54 9917.39090

Mais de 300 barbosenses estão com direito de dirigir suspenso

Públicado em 12 de janeiro de 2018


 Mais de 300 barbosenses estão com direito de dirigir suspenso

Créditos: Divulgação

Em Garibaldi são quase 500 motoristas com o direito suspenso 


CARLOS BARBOSA – Os dados do Detran-RS, são de condutores com direitos suspensos ou cassados. Conforme os dados apresentados, em Carlos Barbosa são 308 motoristas que estão com direito de dirigir suspenso ou em processo de cassação.

Na cidade de Garibaldi, o volume é um pouco mais elevado, ultrapassando a 50% dos registrados de Barbosa. Na cidade vizinha, conforme o Detran-RS, os motoristas com o direito de dirigir suspenso ou em processo de cassação, chega a 497 registros.

Desde que começou a aplicar a penalidade de cassação do direito de dirigir em 2013, o Detran-RS vem aumentando o número de motoristas penalizados no Estado. Em 2017, 9.812 CNHs foram cassadas no Rio Grande do Sul, número 13 vezes maior do que há cinco anos. O maior número de casos de cassação (94%) foi de motoristas flagrados dirigindo com o a CNH suspensa. Outros 6% tiveram a CNH cassada por reincidência em infrações específicas, ou seja, foram flagrados na mesma infração grave no período de 12 meses.

O número de suspensões de CNH, que é aplicada quando o condutor atinge 20 pontos no período de 12 meses, ou comete alguma das infrações que preveem essa penalidade, também aumentou em 2017. Passou de 65,4 mil casos em 2016 para 78,3 mil em 2017. Cerca de 60% dos casos de suspensão, nesses dois anos, foram por dirigir sob o efeito de álcool, exceder a velocidade em mais de 50% da velocidade permitida, praticar racha ou fugir de blitz. 

O Rio Grande do Sul possui hoje 81,2 mil motoristas com direito de dirigir suspenso e 27,3 mil condutores cassados, totalizando 108,5 mil CNHs irregulares. Esses condutores sofreram processo nos últimos cinco anos, foram penalizados, mas ainda não cumpriram todas as etapas para recuperar o direito de dirigir. 


Compartilhe:
Facebook | Twitter | Google+

OUTRAS NOTÍCIAS