A rádio Notícias Gerais Esportes Segurança Promoção OUÇA A RÁDIO
AO VIVO
OUÇA A RÁDIO
AO VIVO
Mande seu recado
telefone 54 3461.9700 whatsapp Whatsapp
54 9917.39090

Polícia Civil conclui inquérito sobre desvio de dinheiro da ABE/CARVI

Públicado em 05 de junho de 2019


Polícia Civil conclui inquérito sobre desvio de dinheiro da ABE/CARVI

Créditos: Divulgação

Caberá agora a decisão do Poder Judiciário  


-Carlos Barbosa- A Polícia Civil encaminhou ao Poder Judiciário de Carlos Barbosa, documento conclusivo sobre as investigações sobre o desvio de mais de R$ 57 mil da contrapartida dos estudantes universitários-ABE-CARVI, fato ocorrido na gestão de 2018. Foi indiciada, segundo inquérito, M.T, 29 anos, natural da cidade de São Miguel do Oeste- Santa Catarina, pelo crime de apropriação indébita qualificada. Caberá agora ao Poder Judiciário o julgamento do fato.

Entenda o caso:

Em assembleia geral extraordinária no início o mês de fevereiro de 2019, os Universitários da Associação Barbosense de Estudantes no Campus Universitário da Região dos Vinhedos – ABE-CARVI, estiveram reunidos na sede da APAE, para tratar de alguns assuntos referentes a entidade, como a prestação de contas relativas ao exercício de 2018; eleição e posse dos componentes da Diretoria e Conselho Fiscal para o ano 2019; fixação do valor da passagem para ano letivo 2019 e outros assuntos de interesse social, sem caráter deliberativo.

O ponto de maior debate, foi em relação a dívida que a entidade possuía com a empresa que faz o transporte e com o Executivo. Segundo Lorete Terezinha Sauthier, Vice-Presidente da instituição, foi feita toda a conferência de valores do ano anterior, bem como contato com os associados que estavam inadimplentes. “Nós fizemos toda a conferência dos cálculos do ano passado para ver se estava faltando alguma coisa e procuramos uma assessoria jurídica, pois o dinheiro simplesmente evaporou”, comentou ela.

Há época, um boletim de ocorrência foi feito na Delegacia de Polícia, haja visto que o desfalque financeiro ultrapassava R$ 50 mil. Na ocorrência, esta quantia foi sacada mensalmente na boca do caixa. “Isso é um caso de polícia, e queremos que seja investigado”, comentou ela na ocasião. Ficou acordado na reunião, que os associados iriam contribuir com um certo valor para cobrir as despesas existentes, pois caso isso não ocorresse, corriam o risco de ficar sem o transporte. A entidade possuía há época 550 associados.


Compartilhe:
Facebook | Twitter | Google+

OUTRAS NOTÍCIAS